O ambiente de uma escola modelo influência no aprendizado?

Por que o ambiente de uma escola modelo incentiva mais o aprendizado?

No Brasil, um dos temas mais polêmicos é a educação. Atualmente, o país sofre com a falta de verba para este setor que é de grande importância para o crescimento da sociedade.

Antes de tudo, é importante salientar o papel da educação. Se formos pensar mais afundo sobre o tema, podemos, antes de mais nada, explicitar que uma das coisas que nos difere de outras espécies de animais é a longa duração da infância.

E é justamente neste período que estamos com maior disposição para aprender. Mesmo nascendo sem nenhum conceito, nossa raça possui esta característica de se desenvolver as várias habilidades inatas, dependendo do meio que a criança é inserida. Tanto pelo lado físico, quanto o social.

Por essas características peculiares é que podemos afirmar, com toda certeza, que o desenvolvimento humano não aconteceria como nós conhecemos caso não existisse uma sociedade.

Educação na história

Veja bem, nas sociedades primitivas, todo o sistema educacional ficava por conta dos adultos, grandes responsáveis por transmitir o conhecimento e a cultura aos mais jovens. Jovens estes que quando cresciam viravam os próximos educadores.

Desta forma, vemos que a educação tem um papel de manutenção daquilo que conhecemos como ordem social. Contudo, durante vários séculos da nossa história, ter acesso à educação era coisa de grande privilégio, mais do que possamos imaginar.

Como nesta época a escola tinha grande função de preservar os valores da sociedade, erroneamente se pensava que uma educação igualitária seria prejudicial a este sistema. Este modelo só passou a ser colocado em xeque já no século XVIII, com a chegada do Iluminismo.

Nesta época, o pensamento do homem mudou completamente e, desta forma, começou a se discutir sobre a igualdade das pessoas e consequentemente, as diretrizes do ensino também mudaram. Agora, o entendimento era de que o ensino e a educação deveriam ser abrangente e para todos.

Educação, transformadora da sociedade

A educação tem como grande objetivo a transformação da sociedade. A tendência é formar cidadãos críticos. A proposta de uma escola-modelo e contemporânea é discutir a sociedade, de forma a apontar as várias contradições e, desta forma, usar a educação como uma ferramenta transformadora.

De um ponto de vista pouco teórico mas concreto, trata-se de tornar a educação um alicerce na luta contra a discriminação e as classes menos favorecidas da sociedade, principalmente aquelas com baixo poder financeiro, que ainda hoje não têm acesso a uma educação de qualidade.

Independente da classe social, é de grande importância o investimento em que chamamos de escola-modelo. Se pudéssemos pensar em uma receita milagrosa para melhorar nosso ensino, sem sombra de dúvida, uma infraestrutura de qualidade, com uma boa gestão e professores altamente qualificados seria um ótimo caminho a seguir em busca do sucesso.

Isso, inclusive, já foi vastamente discutido e analisado em vários encontros entre representantes de colégios do Brasil. Quando se fala em escola modelo, sabemos que é um método educacional totalmente diferente do que vemos Brasil afora.

Infraestrutura e professores qualificados são ferramentas para melhorar o ensino

Escolas modelos

As escolas modelos são lugares que normalmente escolhem seus alunos através de uma prova nacional. Nestes locais, existem uma infraestrutura de ótima qualidade e turmas pequenas, o que facilita o aprendizado do aluno. Geralmente as aulas são ministradas de segunda a sábado.

Além disso, não podemos esquecer da participação integral dos professores, que são bem remunerados e contam com infraestrutura a favor de realizar seu trabalho com competência.

Imagine só uma escola em tempo integral, onde os alunos são motivados a realizar as mais diferentes atividades. Salas de 15 a 20 alunos, o que facilita a comunicação entre professores e estudantes. São vários estímulos positivos para o sucesso educacional das escolas modelos.

Entre as escolas modelos, ainda temos ensino diferenciado. Várias delas, por exemplo, além de toda a infraestrutura, investem em um sistema educacional bilíngue, que é altamente positivo, principalmente se formos pensar no mercado de trabalho que uma criança enfrentará quando estiver na fase adulta.

Atualmente, é fácil identificar os vícios das nossas escolas tradicionais, que investem muito pouco em infraestrutura e utilizam muito mal os espaços. Grande parte destes sistemas de ensino, possuem os espaços compostos apenas de carteiras, lousa e cortinas. Totalmente diferente de uma escola-modelo.

Para não restar dúvida, um ambiente como este estimula pouco o aluno, e isso é visto a todo dia devido ao caos denunciado pelos veículos de comunicação sobre o descaso da educação brasileira, principalmente quando falamos do ensino público.

Escolas modelos e Escolas Públicas

Diferentemente deste contexto, as escolas modelo se utilizam de salas ambientes, que são interessantes, e estimulam o aprendizado dos adolescentes e dos jovens. Imagine uma sala destas em uma aula de história, onde se tem mapas, livros, DVDs e outras ferramentas. Isto, definitivamente, estimulará o aprendizado e a curiosidade do aluno.

Junto com isso, fica muito mais fácil, assim como vemos nas escolas modelos, que seja incentivado o desenvolvimento de atitudes consideradas positivas, como a convivência harmônica entre as pessoas, a solidariedade, o respeito e a tão falada paz. Isso tudo contribui para um sistema pedagógico eficiente e prático.

Unidas

Em encontros entre escolas públicas e privadas, é de comum acordo que o sucesso da educação esteja ligado diretamente à valorização do professor. Inclusive, para a maioria dos diretores, este é um ponto importante na educação, se quisermos melhorar e preparar melhor nossos jovens para o futuro.

Contudo, nem todas as perspectivas são negativas, principalmente se olharmos para o passado. Antes, tínhamos escolas privadas apenas para os filhos da burguesia e outra para os filhos dos operários, o que, em termos educacionais, é péssimo.

Portanto, apesar de nem todas as escolas seguirem as diretrizes que estão dando certo nas escolas-modelo, o panorama ainda sim é bem melhor que no passado.

Para se chegar a um consenso de melhoria é preciso assegurar que todo o currículo seja interdisciplinar. Em uma linguagem de fácil entendimento, isso quer dizer que os conteúdos ministrados entre si precisam manter um diálogo permanente, contextualizado, para que a educação, de forma geral, seja beneficiada pelo método utilizado nas escolas-modelo.

Tem alguma opinião sobre o assunto? Deixe um comentário abaixo!

Deixe uma resposta