Marketing Escolar: como se sobressair?

Hoje em dia, as demandas das instituições de ensino são bastante diferentes daquelas de 25 ou 30 anos atrás. Esse é um ponto fundamental e precisa ser levado em conta na formulação das estratégias de marketing nas instituições de ensino.

Hoje, dada a competitividade do mercado, não restam dúvidas de que o planejamento das ações de marketing é necessário. Esse planejamento é tão necessário que está totalmente voltado para o aumento do número de taxa de matrículas. Portanto, o trabalho conjunto entre marketing e vendas é uma das grandes preocupações das instituição de ensino.

Como redesenhar o marketing das escolas e das instituições de ensino a fim de aumentar o número de alunos? Como atender as demandas e as necessidades do público alvo? Neste artigo, o objetivo é apresentar alguns insights sobre marketing educacional. Abordaremos, conjuntamente, os princípios de marketing úteis para as instituições e outros conceitos essenciais que garantem o nível de satisfação dos alunos.

O marketing das escolas e das instituições de ensino é redesenhado frequentemente com vistas aumentar o número de alunos.
 

Mudanças na sala de aula X Mudanças no marketing

 
Em um mundo em que a tecnologia corre em alta velocidade e proporciona revoluções em diferentes campos, a educação, da mesma forma, sofre grandes modificações. Todavia, as instituições de ensino brasileiras ainda funcionam com métodos do início do século XX.

Se, em termos de ensino, não podemos exigir avanços mais rápidos do que as escolas estão conseguindo, podemos recompensá-los no marketing educacional, já que este pode avançar e contribuir com o atual desafio.

Vamos direto ao ponto: o marketing educacional não pode ser modesto na hora de criar estratégias, principalmente diante de tantas mudanças em sala de aula. Confira abaixo algumas reflexões importantes a fazer antes de iniciar o plano de marketing da sua instituição:

* Como agem os pais e alunos na hora de escolher uma escola?
* Como a escola pode antecipar as decisões e escolhas dos pais e alunos para aumentar as chances de efetivação de matrícula?
* Como funciona o seu mercado? Há espaço para expansão?
* Quem são seus principais concorrentes?
* Por que seu produto é melhor do que o que já existe no mercado?
* Qual é sua estratégia para atrair novos consumidores?
 

A melhor estratégia: acertos no direcionamento da campanha

 
O ponto forte da estratégia de marketing educacional é quase sempre o público-alvo ao qual a campanha é direcionada. É necessário traçar os perfis adequados a fim de realizar captações de forma mais específica.

Para as gerações atuais, as mídias eletrônicas têm sido o melhor canal de captação. Segundo pesquisa da Fundação Telefônica, mais de 40% dos jovens usam a internet quase diariamente para pesquisas; para 42%, o celular é o principal meio de acesso à web.

As mídias mais eletrônicas têm sido o melhor canal de captação de alunos.

Conteúdo que vale ouro


Até o final do século XX, os recursos didáticos utilizados nas escolas se restringiam a livros didáticos, lousa e aula expositiva. Hoje em dia existe uma nova agenda de aprendizado. Essa agenda leva em consideração recursos multimídias que fortalecem o papel da criatividade e da inovação nas instituições de ensino.

Paralelamente às inovações em sala de aula, as estratégias de marketing de conteúdo ganharam espaço no marketing educacional.

O marketing de conteúdo cria conteúdo relevante e valioso, e acaba atraindo e gerando valor para as pessoas de modo a criar uma percepção positiva da instituição de ensino.

No caso das universidades, o marketing de conteúdo funciona como uma espécie de extensão da sala de aula, ou seja, distribui conteúdos para fora da sala da aula como forma de atração de públicos externos.

Dessa forma, o marketing de conteúdo produzido pelas instituições de ensino seria um instrumento para engajar públicos externos ainda não pertencentes à comunidade da instituição, o que acaba aumentando as chances de elevação das taxas de matrículas.

De fato, já existe um esforço para adotar conteúdo para além da sala de aula. Alguns deles postam aulas e disponibilizam conteúdos informativos utilizando-se das mídias sociais, muitas vezes de forma independente ou por teste dos professores.

Instituições que trabalham com educação há anos já começaram a adotar plataformas tecnológicas para distribuição de conteúdo. Essa distribuição não é feita só para ajudar de forma mais eficiente os estudantes, mas também para alcançar um número maior de pessoas em regiões mais remotas do país.

Importância da diversificação

A dinâmica do mercado pode deixar seus produtos parados no tempo e/ou inferiores aos da concorrência. Da mesma forma acontece no setor da educação. Não é possível sobreviver sem produtos.

É preciso desenvolver produtos para cada segmento e ter campanhas voltadas especificamente para cada um desses grupos. Por exemplo, existem sites de universidades que segmentam alunos por categoria, mostrando que, na cartela de produtos, existem aqueles próprios para segmentos específicos. Eis, aqui, a importância de se pensar os produtos que se vende, selecionando sempre o que vender e tomando as decisões certas de divulgação.

O papel do Inbound Marketing na Educação

É por meio da metodologia do inbound marketing que a equipe responsável pelo marketing da instituição de ensino constrói um relacionamento mais fiel com os alunos. Isso acontece desde quando ele começa a considerar a necessidade de um determinado curso.

O papel do chamado Inbound Marketing é orientar sem ser invasivo. Em outras palavras, inbound marketing significa mostrar ao aluno o porquê de sua instituição ser a melhor escolha.

Nesse espaço, o relacionamento entre cliente e empresa vai além da mera relação de compra e venda do produto. Vídeos e posts informativos, motivam e orientam o aluno para a compra.

Metodologias de Benchmarking

Como mostram os especialistas em marketing educacional, constantemente, o marketing bem-sucedido constrói atendimento de excelência e busca. Esses são diferenciais competitivos.

Às vezes, o caminho é a comparação com outras práticas. Dá-se o nome de benchmarking para tal técnica, cuja essência é a busca das melhores práticas de marketing como forma de ganhar vantagens competitivas.

A utilização da técnica compreende cinco etapas: o planejamento, no qual são definidas as melhores práticas a serem copiadas; a análise, na qual há a coleta, estudo e interpretação dos dados; a integração, na qual são definidas modificações possíveis; e a maturidade, que é quando se busca o aprimoramento das práticas e/ou dos produtos.

A essência do benchmarking é a busca das melhores práticas de marketing como forma de ganhar vantagens competitivas

Retenção do aluno também é marketing


Esta é uma etapa extra no marketing educacional, mas de extrema importância para instituições de ensino. Se há uma nova matrícula e um novo aluno, ele precisa sentir que fez a escolha certa.

Portanto, é importante continuar alimentando esse aluno, acompanhando sua evolução, suas dificuldades ao longo do curso e ofertando mais oportunidades de capacitação.

Em geral, as instituições sofrem com a evasão e a inadimplência. A instituição precisa demonstrar interesse no crescimento intelectual e profissional do seu aluno, dando segurança de que o investimento nas mensalidades tenha retorno garantido.

Certamente, este artigo te fez pensar sobre a importância do marketing educacional para o aumento do número de matrículas. Caso tenha restado alguma dúvida, sugestão ou reflexão, fale conosco!